Entendendo a sua barriga

Como funciona

Antes de entender como as dores de barriga ocorrem, é importante saber onde cada órgão de seu abdômen se encontra e as funções de cada um.

Abdômen superior
1Esôfago

Após mastigar e engolir o alimento, ele desce por um tubo chamado esôfago. Na extremidade inferior mais profunda desse tubo, há um músculo. Esse possui um anel que relaxa brevemente para permitir que o alimento entre no estômago, mas normalmente se encontra hermeticamente fechado para impedir que o refluxo de ácido gástrico cause danos nas paredes internas sensíveis do esôfago.

Abdômen superior
2Estômago

O estômago envolve o alimento e o líquido engolidos enquanto sucos gástricos fortemente ácidos são adicionados. Músculos (chamados “músculos lisos”) ao redor da parte inferior do estômago misturam o alimento com os ácidos estomacais que liquefazem sólidos e quebram as gorduras.

Abdômen superior
3Pâncreas

O pâncreas tem aproximadamente o mesmo tamanho e formato de uma banana pequena e fica no abdômen superior, em direção às costas, perto da coluna. Produz um líquido digestivo límpido composto de bicarbonato e enzimas que são secretadas no intestino para ajudar a quebrar o alimento. Essas enzimas digerem proteínas, gorduras e carboidratos em moléculas bem menores, de modo que nossos intestinos sejam capazes de absorvê-las. O pâncreas também produz insulina e outros hormônios importantes.

Abdômen superior
4Fígado

O fígado é a maior glândula do corpo e realiza um grande número de tarefas que afetam e impactam todos os sistemas do nosso corpo. Todo o sangue que deixa o estômago e os intestinos atravessa o fígado, sendo processado aqui. Além disso, o fígado produz um líquido chamado bile, que é secretado na vesícula biliar.

Abdômen superior
5Vesícula biliar

A vesícula biliar é um órgão que coleta o bile, um líquido escuro amargo que ajuda a digerir alimento emulsificando as gorduras. A vesícula biliar tem aproximadamente o tamanho de um ovo quando está cheia. Embora seja fina, a parede da vesícula biliar é feita de um tecido muscular forte o suficiente para contrair e expulsar a bile no intestino delgado quando necessário.

Abdômen inferior
6Intestino delgado

O intestino delgado é um tubo muscular longo, que em um adulto tem aproximadamente 6 metros de comprimento; é responsável pela absorção da maioria dos nutrientes do alimento. O peristaltismo, o movimento semelhante ao de uma onda de seus músculos lisos, empurra o alimento digerido ao longo de seu comprimento. Esse movimento é coordenado por uma densa rede nervosa dentro das paredes musculares.

Abdômen inferior
7Intestino grosso

O intestino grosso absorve o resto dos nutrientes que não foram absorvidos pelo intestino delgado e também remove o excesso de água do bolo alimentar. Se o peristaltismo - o movimento semelhante à onda de seus músculos lisos que lentamente empurra o material residual ao longo do intestino grosso - é interrompido ou reduzido, os resíduos não podem ser eliminados, resultando em constipação. Se os resíduos forem empurrados muito rapidamente pelo cólon, o excesso de água não pode ser removido e pode resultar em diarreia.

Abdômen inferior
8Rins

Localizados no extremo posterior do abdômen, os rins filtram o sangue. Esses dois órgãos empregam um processo físico-químico, a fim de extrair sais, ácidos e outras substâncias indesejadas. Ao contrário de outros órgãos no abdômen, os rins não precisam de contrações musculares para realizar suas funções.

Abdômen inferior
9Órgãos reprodutivos (femininos)

Os órgãos reprodutivos femininos se localizam perto e na frente do final do cólon, abaixo e atrás do intestino delgado. Entre a puberdade (cerca de 10 a 16 anos) e a menopausa (cerca de 50 anos), o útero, tubas uterinas e ovários produzem hormônios sexuais e reagem à alteração de níveis desses hormônios em um ciclo mensal. A menstruação, o sangramento mensal da mulher, faz parte do ciclo menstrual, que começa no primeiro dia do período menstrual. Sua duração média é de 28 dias. Durante a menstruação, podem ocorrer cólicas no útero e órgãos abdominais circundantes.

1
2
3
4
5
6
7
8
9

Digestão e cólicas abdominais

Agora que você aprendeu como cada um dos órgãos principais em seu abdômen funciona, que tal entender como ocorrem as dores abdominais?

1
2
3
4
5
6
7
7
8
Músculo liso

Todo o processo de digestão é muito complexo. A digestão normal depende da capacidade do corpo de suavemente empurrar o alimento pelo trato digestivo ao mesmo tempo em que mistura seu conteúdo. Isto acontece pela contração de duas camadas de músculo liso que se estendem ao longo de todo seu comprimento.

Peristaltismo

O estômago, intestino delgado e intestino grosso têm uma camada externa de músculo liso. Por meio de uma contração muscular rítmica, semelhante a ondas, conhecida como peristaltismo, o alimento é suavemente apertado, quebrado e empurrado pelo trato digestivo. Todo o processo ocorre sem que precisemos ao menos pensar nele. De fato, normalmente, nós nem ao menos sentimos essas contrações suaves.

Como Buscopan® funciona

7
8
9
10
Pare a cólica, pare a dor

Após ser engolido, Buscopan® desce pelo trato digestivo, é absorvido e entra na circulação sanguínea. Ali, onde ocorre o espasmo, Buscopan® interrompe o sinal que manda os músculos gastrintestinais se contraírem. Os músculos podem relaxar, a dor diminui e o processo digestivo volta ao normal.

De onde Buscopan® vem

Na busca por um tratamento eficaz e bem tolerado para a dor de cólicas abdominais, a Boehringer Ingelheim aprendeu com as artes de cura de algumas das culturas mais antigas do mundo. Médicos hindus antigos na Índia conheciam os efeitos antiespasmódicos de um parente da Duboísia: a planta Datura. Hoje em dia, a história de Buscopan® começa em Ingelheim, Alemanha, onde plantas da elite da Duboísia são cultivadas em estufas. Essas plantas são cultivadas para serem resistentes a nemátodos e besouros. As melhores sementes são cultivadas e depois depositadas nas plantações da empresa na América do Sul e Austrália para maior seleção no local. Aqui, os arbustos crescem em grande escala.

O alcaloide farmaceuticamente importante, escopolamina, contido nas folhas e caules secos é isolado e purificado. Por fim, a substância ativa precursora, escopolamina, é convertida em um único processo químico em butilbrometo de escpolamina, o princípio ativo do Buscopan®.

Em 1951, a nova medicação estava pronta para produção comercial. Buscopan® foi lançado em 1952. Hoje, com mais de meio século de experiência comprovada em efetividade antiespasmódica, Buscopan® é um líder para dor abdominal.5