Alívio

O que é bom para refluxo? Saiba quais alimentos comer e evitar

Imagem dio post o que é bom para refluxo

A doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) é considerada um dos distúrbios digestivos predominantes nos países ocidentais1 e, por isso, existem muitas diretrizes sobre o que é bom para refluxo.

A azia e a queimação no estômago são sintomas comuns de refluxo. Eles podem variar de grau leve até a quadros mais sérios que demandem intervenção cirúrgica. 1

Uma das principais mudanças para quem tem refluxo é alterar o cardápio de alimentos, evitando alguns tipos, além de ajustar os hábitos de rotina. 1

Quer saber o que é bom para refluxo? Continue lendo o artigo e saiba o que evitar na hora de comer e tipos de remédio indicados. 

Boa leitura!

O que é refluxo? 

O refluxo ou doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) é um problema crônico que causa o fluxo retrógrado, ou seja, a volta de parte do conteúdo gastroduodenal (ácido) para o esôfago e/ou órgãos próximos 2.

Esse retorno do líquido na garganta causa uma série de sintomas (esofágicos ou extra-esofágicos) que podem ou não gerar lesões teciduais, geralmente diagnosticadas com auxílio do exame de endoscopia. 2

O DRGE é extremamente desconfortável, por isso, quem sofre com a doença deve evitar ao máximo hábitos e alimentos que causam refluxo. 2

Refluxo é comum?

Um estudo realizado em 22 cidades brasileiras apontou que 12% da população local sofre da doença do refluxo gastroesofágico. 4,6% dos entrevistados afirmaram que têm queimação após as refeições pelo menos uma vez por semana e 7,3% têm duas ou mais ocorrências por semana. 1

Nos Estados Unidos e países da Europa, a ocorrência fica próxima a 20% da população 1. Então, o refluxo pode sim ser considerado uma doença de saúde relativamente comum.

Quais são os sintomas de refluxo?

Os principais sintomas de refluxo são: 1

  • queimação; 1
  • azia; 1
  • regurgitação; 1
  • dor torácica. 1

É válido destacar que esses sintomas podem ser pontuais, ou seja, acontecerem um dia por conta de um alimento específico ou por comer em excesso, e não ocorrerem mais. Eles também podem estar ligados a outras doenças, como gastrite ou úlcera péptica. 1

Porém, quando os efeitos acima acontecem em conjunto, a chance de o diagnóstico ser refluxo é superior a 90% 1.

Para ter um diagnóstico preciso, é importante buscar a orientação de um gastroenterologista para fazer exames que avaliem o trato digestivo em busca de evidências da doença do refluxo gastroesofágico. 1

O que é bom para refluxo?

Uma vez que o diagnóstico foi positivo, cada caso terá um tipo de tratamento de acordo com a gravidade e os tipos de gatilho que causam o refluxo. 1

Muitos alimentos devem ser evitados e alguns hábitos alterados, o que pode ajudar bastante a minimizar o desconforto da doença. 1

Para te ajudar a entender o que é bom para refluxo, dividimos a lista de dicas em três partes abordando: alimentos, remédios e hábitos da rotina que devem mudar. Confira!

Alimentos que causam refluxo

Uma atitude mais efetiva e que é bom para refluxo é evitar os alimentos que causem esse efeito na alimentação. Essa mudança pode excluir alimentos que você gosta muito, porém existe a possibilidade de comê-los com menos frequência e em pequenas porções. 1

Os tipos de alimentos que tendem a causar refluxos em quem tem a doença são: 1

  • frituras e carnes/pratos gordurosos; 1
  • frutas cítricas; 1
  • café; 1
  • bebidas alcoólicas; 1
  • bebidas gasosas; 1
  • preparações com menta ou hortelã; 1
  • pratos e produtos à base de tomate (molhos ou legume in natura); 1
  • chocolate. 1

Como destacamos acima, caso você não consiga eliminar 100% desses alimentos e bebidas, diminua ao máximo a ingestão no dia a dia. 1

O objetivo é reduzir a capacidade de agressão do conteúdo gástrico, atenuando os efeitos do ácido clorídrico, componente do suco gástrico, que provoca a sensação de queimação na garganta quando acontece o retorno do fluxo do estômago 1

Opções de remédio para refluxo

Também existem opções de remédio para o refluxo que aliviam o desconforto quando um episódio acontece. Entre eles temos: 1

Antiácidos

Neutralizam a acidez do estômago e aliviam a sensação de queimação, azia e dor. Ex: bicarbonato de sódio, hidróxido de magnésio e alumínio e carbonato de cálcio. Sua ação é de curto prazo, então, se o refluxo for persistente, é preciso procurar um médico. 1

Bloqueadores de histamina (H2)

A histamina é a substância que induz a liberação de ácido gástrico. Então, os remédios com bloqueadores se ligam a ela, reduzindo a produção de ácido e evitando os sintomas do refluxo. O uso do remédio deve ser prescrito e acompanhado pelo médico para evitar efeitos colaterais. 1

Inibidores da bomba de prótons (IBP)

Os inibidores da bomba de prótons são medicamentos mais fortes que os bloqueadores de H2 e, no geral, conseguem aliviar os efeitos do refluxo e cicatrizar a esofagite mais rápido 1.

O IBP também age na produção de ácido, mas atuando na inibição da bomba de prótons, que é uma proteína existente nas células da parede do estômago. É preciso ter atenção na utilização, pois existem efeitos colaterais no uso em longo prazo. 1

Antiespasmódicos

Os antiespasmódicos ajudam a aliviar especificamente o desconforto e a dor abdominal devido a cólicas e espasmos. Esses sintomas também fazem parte do quadro de refluxo e podem ser atenuados com o uso correto e de acordo com a bula do medicamento. 1

É importante destacar que os antiespasmódicos não tratam o refluxo em si, atuando especificamente no sintoma da dor. Por isso, a orientação médica é importante para que seja feito o uso de medicações complementares. 1

Hábitos comportamentais para mudar na rotina

Fechando a lista de dicas sobre o que é bom para refluxo, existem alguns comportamentos simples que contribuem para lidar com esse problema com menos desconforto. São eles 1:

  • use um travesseiro que mantenha a cabeça elevada aproximadamente 15 cm; 1
  • evite deitar-se nas 2 horas após a refeição; 1
  • evite comer demais nas refeições; 1
  • reduza drasticamente ou pare de fumar; 1
  • faça uma reeducação alimentar, caso esteja com sobrepeso/obesidade. 1

Com o apoio do seu médico, fazer o que é bom para refluxo pode contribuir para lidar com a doença e evitar que ela se agrave ou gere outros quadros de saúde. Cuide-se!

Seja qual for a sua dor na barriga, Vai de Buscopan

Buscopan é a única marca com portfólio completo para cada intensidade de dor na Barriga1. Além disso, todos os produtos da linha possuem o ativo específico (butilbrometo de escopolamina) para o tratamento das cólicas e dores na barriga.

  • Buscopan: versão tradicional da caixinha verde, traz alívio rápido e prolongado e é indicado para dores leves e cólicas na região da barriga2. Saiba mais do Buscopan.
  • Buscopan Gotas: possui a mesma fórmula do Buscopan comprimido, mas na versão gotas. Indicado principalmente para crianças e grávidas3 (desde que indicado por um médico). Conheça o Buscopan Gotas para cuidar da cólica do seu bebê!
  • Buscoduo: além do Butilbrometo de escopolamina, essa versão da caixinha laranja de Buscopan possui Paracetamol em sua composição, aliviando cólicas e dores na barriga moderadas4. Veja mais informações sobre o Buscoduo!
  • Buscopan Composto: o princípio ativo do Buscopan da caixinha roxa é uma combinação de Butilbrometo de escopolamina com Dipirona, ou seja, ele possui ação analgésica e antiespasmódica, ideal para combater dores intensas na barriga5. Entenda o funcionamento de Buscopan Composto.

Buscopan. butilbrometo de escopolamina. Indicações: tratamento dos sintomas de cólicas estomacais e intestinais, cólicas e movimentos involuntários anormais das vias biliares e cólicas dos órgãos sexuais e urinários. MS 1.7817.0890. Buscoduo. butilbrometo de escopolamina e paracetamol. Indicações: tratamento dos sintomas de cólicas, dores e desconforto na barriga. MS 1.7817.0889. Buscopan composto. butilbrometo de escopolamina e dipirona. Indicações: tratamento dos sintomas de cólicas intestinais, estomacais, urinárias, das vias biliares, dos órgãos sexuais femininos e menstruais. MS 1.7817.0891. SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO. 07/2022.
Referências Consultadas:
  1. 1. IQVIA PMB MAT JAN/22
  2. 2. Bula do produto Buscopan
  3. 3. Bula do Produto Buscopan Gotas
  4. 4. Bula do produto Buscoduo
  5. 5. Bula do produto Buscopan Composto

1. Nasi A, Moraes-Filho JPP de, Cecconello I. Doença do refluxo gastroesofágico: revisão ampliada. Arquivos de Gastroenterologia. 2006 Dec;43(4):334–41. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ag/a/5pb8QRNNxXXsZKNyGBvKmgD/?lang=pt#. Acesso em julho/2022. 2. Diretrizes P. Autoria: Federação Brasileira de Gastroenterologia. Disponível em: : https://amb.org.br/files/_BibliotecaAntiga/refluxo-gastroesofagico-diagnostico-e-tratamento.pdf. Acesso em julho/2022.