Cólicas

Distúrbios gastrointestinais: o que são, sintomas e fatores de riscos

Imagem dio post distúrbios gastrointestinais

Os distúrbios gastrointestinais são problemas de saúde comuns e, geralmente, só pelo relato dos sinais, o médico faz o diagnóstico para o paciente, pois muitas doenças têm características específicas.

Isso não exclui casos mais complexos, em que os sintomas não são tão precisos, exigindo mais investigação e a realização de exames.

A conversa com o paciente é fundamental para que o médico conheça seu histórico de saúde, avalie a localização dos sintomas, a intensidade, a frequência e se há piora ou melhora em determinados momentos.

Para saber mais sobre os problemas gastrointestinais, continue lendo o artigo e entenda as causas, sintomas, fatores de riscos e formas de tratamento e prevenção para distúrbios dessa categoria.

Boa leitura!

O que são distúrbios gastrointestinais?

Os distúrbios gastrointestinais são doenças que afetam os órgãos e as estruturas do trato digestivo e intestinal, que incluem esôfago, estômago, intestino grosso e delgado, reto, cólon e ânus. Além de órgãos relacionados à digestão, como fígado, pâncreas e vesícula biliar. Os problemas causados pelas disfunções podem ser passageiros ou crônicos1.

Um estudo realizado na Europa e divulgado na edição 2022 da United European Gastroenterology Week (UEG) destaca o aumento preocupante no índice de várias de várias doenças gastrointestinais desde o ano 2000.

Os principais problemas citados na pesquisa são: doenças hepáticas crônicas, pancreatite, doença do refluxo gastroesofágico, gastrite, distúrbios intestinais vasculares e doença celíaca em crianças.

Ao todo, mais de 300 milhões de pessoas são afetadas por esses distúrbios, contribuindo para o aumento significativo dos gastos com saúde.

Quais são os distúrbios gastrointestinais mais comuns?

Os distúrbios gastrointestinais mais comuns são:

Segundo a Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG), a DRGE é um dos diagnósticos mais frequentes na gastroenterologia, afetando de 12% a 20% da população brasileira2.

Já a bactéria Helicobacter Pylori (H. Pylori), que afeta a mucosa do estômago, é encontrada em aproximadamente 70% da população em idade adulta no Brasil2.

A lista de doenças não se resume às citadas acima. Entre as mais frequentes e as mais raras, existem muitas alterações que podem afetar qualquer pessoa.

Por isso, ter um diagnóstico preciso para qualquer um dos distúrbios existentes é fundamental para evitar automedicação e cuidados paliativos que não resolvem definitivamente o problema.

Quais os sintomas de distúrbios gastrointestinais?

Os sintomas de distúrbios gastrointestinais são bastante diversos. Por isso, vamos dividir a lista entre sinais localizados na parte superior do trato e na parte inferior do trato gastrointestinal para facilitar a compressão. Confira!

Sinais no trato superior

  • Dor na região do tórax e na região abdominal — crônica ou recorrente3.
  • Desconforto na região superior do abdômen durante ou após as refeições (dispepsia, chamada popularmente, de má digestão)3.
  • Dificuldade leve ou dolorosa para engolir alimentos ou líquidos (deglutição)3.
  • Sensação de globo (ter uma bola ou massa na garganta)3.
  • Mau hálito frequente ou persistente3.
  • Soluços3.
  • Eructações (“arrotos”) frequentes (liberação de gases do estômago)3.
  • Náuseas e vômitos3.
  • Ruminação (movimento involuntário em que pequenas quantidade de alimento voltam do estômago)3.

Sinais no trato inferior

  • Constipação intestinal ou “prisão de ventre” (mais de três vezes por semana ou dificuldade para evacuar persistente por até três meses seguidos)3.
  • Diarreia3.
  • Distensão abdominal3.
  • Gases em excesso3.
  • Dor ou sangramento retal3.

Como esses sintomas podem aparecer apenas de vez em quando, ou ir e voltar com frequência, muitas pessoas não procuram orientação médica para investigar um possível distúrbio gastrointestinal.

Segundo a Organização Mundial de Gastroenterologia, 90% dos pacientes se automedicam para aliviar sintomas ou não fazem nada para buscar solução para o problema que estão sentido.

Esse comportamento é perigoso, pois leva ao uso indiscriminado e incorreto de medicamentos, além de comprometer a qualidade de vida e até o convívio social.

Por isso, ao identificar um ou mais dos sintomas acima, marque uma consulta para descobrir a causa do problema.

O que causa distúrbios gastrointestinais?

Saber o que causa uma doença gastrointestinal não é uma investigação fácil. Muitos sintomas são comuns a diferentes distúrbios, porém as causas de uma condição não são  iguais a outra. Isso exige que os médicos avaliem os pacientes de forma individualizada, analisando os comportamentos, os gatilhos para os sintomas e como e quando eles surgem4

Alguns fatores de risco associados ao desencadeamento de problemas no trato gastrointestinal são:

  • uso excessivo de anti-inflamatórios;
  • alimentação de qualidade ruim;
  • estresse;
  • ansiedade;
  • sedentarismo;
  • ausência de rotina alimentar;
  • tabagismo;
  • obesidade;
  • alcoolismo.

Dá para notar que tanto fatores práticos quanto comportamentais afetam as funções digestivas e intestinais, limitando à saúde do organismo e resultando em patologias.

Isso mostra o quão interligado é o corpo humano. Por isso, toda informação que vier à cabeça na hora da consulta deve ser repassada ao médico.

Como é feito o diagnóstico e tratamento de distúrbios gastrointestinais?

A conversa inicial do médico com o paciente é o primeiro passo para traçar as possibilidades de diagnóstico. O apoio de exames de imagem é a segunda etapa para confirmar as suspeitas levantadas.

Diagnóstico

Para investigar o estômago é feito o exame de endoscopia, no qual uma câmera é introduzida pela boca do paciente sedado para analisar o trato gastrointestinal superior — esôfago, estômago e duodeno (área inicial do intestino delgado)2.

Quando o alvo da análise é o intestino, o exame utilizado com mais frequência é a colonoscopia. O tubo do colonoscópio, introduzido pelo ânus, avalia a saúde de toda extensão do cólon e final do intestino delgado com o auxílio de uma câmera2.

Outros exames mais especificos são a manometria anorretal (avalia dificuldades de evacuação e incontinência fecal) e a retossigmoidoscopia (analisa especificamente os 30 centímetros finais do intestino — reto e do cólon sigmóide — e não precisa de sedação ou lavagem antes do exame como na colonoscopia)2.

A ressonância magnética feita, geralmente, com a administração de substâncias de contraste, ajuda o médico a avaliar o tamanho dos órgãos abdominais, a existência de tumores, alterações nos vasos sanguíneos e a presença de inflamações, como apendicite e diverticulite6.

Tratamento

O tratamento de cada um dos distúrbios gastrointestinais é diferente. As prescrições de medicamentos, quando necessárias, são individualizadas e feitas para auxiliar a aliviar os sintomas.

Por exemplo, analgésicos são aliados para reduzir os sintomas de cólica no trato gastrointestinal, assim como inchaços e gases. O Buscopan é uma das opções para aliviar esses efeitos5.

Além disso, mudanças no estilo de vida e na alimentação são fundamentais, uma vez que o que comemos tem efeito direto no organismo, assim, como ter uma rotina constante de exercícios.

Leia também: 5 benefícios dos exercícios físicos para a saúde.

Agora que você conhece melhor os distúrbios gastrointestinais, pode avaliar seus sintomas e buscar um médico capacitado para orientá-lo.

Cuide da sua saúde e use medicamentos de forma orientada, tratando tanto a causa quanto o efeito do sintoma.

Seja qual for sua dor na barriga, vai de Buscopan!